A Sociedade dos Amigos de Plutão (SAP)

Às vésperas do primeiro turno das eleições de 2006, a "notícia" revoltou muita gente e com justa razão. Uma ONG (Organização Não Governamental) teria sido criada em Brasília para defender o retorno de Plutão à condição de Planeta. Seria apenas uma ONG a mais não fossem os privilégios de cada um dos seus 800 diretores. Isso mesmo: oitocentos diretores.

Cada um desses oitocentos privilegiados diretores receberia vinte mil reais por semana. Isso mesmo: vinte mil reais por semana. Oitenta mil reais por mês. Novecentos e sessenta mil reais por ano. E mais: cartões de crédito institucionais para enfrentar despesas pessoais de hospedagem, alimentação, vestuário e transportes. O presidente da entidade, diz a "notícia", é um ex-líder sindical, filiado à CUT e ao PT, amigo íntimo do presidente Lula.

Haja revolta...

E de onde vem essa dinheirama pra pagar tanta mordomia? Vem da 'viúva', uai:

O Diário Oficial publicou a liberação de 7,5 milhões de reais para estimular as primeiras ações da nova ONG, que também celebrará convênios de publicidade com a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e os Correios.

Mais revolta! Enquanto verbas para pesquisas são reduzidas...

E algumas perguntas:

- qual o nome dos diretores da entidade?
- qual o local de funcionamento?
- qual a data do Diário Oficial que publicou a liberação dos 7,5 milhões de reais?
Nenhum nome, nenhum endereço, apenas um vago 'esplanada dos ministérios' como endereço.
Sete e meio milhões de reais? Mixaria.

Fazendo as contas, vê-se que esse dinheiro não dá pra muita coisa. A tal ONG gastaria, apenas com os seus 800 diretores, nada menos que 64 milhões de reais por mês (768 milhões por ano), sem contar os cartões de créditos, viagens e otras cositas más.

A notícia da criação da
Sociedade Amigos de Plutão - SAP é da lavra do jornalista Carlos Chagas que a divulgou em sua coluna no dia 29 de agosto de 2006. Na verdade, muita gente logo acreditou na história, pois havia clima favorável para acreditar em qualquer coisa suja ou sórdida ocorrida em Brasília, principalmente se vinculada ao PT. Apesar do absurdo da 'notícia', por ser de autoria de famoso jornalista logo se transformou em coisa certa e verdadeira.

"Tem tudo para ser uma piada ou fake difundido pela internet, mas não é, pois foi relatada pelo jornalista Carlos Chagas" diz um inconformado blogueiro. (Amigos de Plutão e do dinheiro público.)

Pois é, por se tratar de um conhecido jornalista, então tudo o que ele disser ou for publicado em seu nome deve ser tomado como verdadeiro.

Um piadista brasileiro criou a SAP e um espirituoso português criou a
LAPINHA
"... cujos objectivos [ ...] são promover uma aproximação planetária entre a Terra e Plutão executando manobras apropriadas que redefinam a órbita do nosso amado planeta, de modo a aproximá-lo de nós..."
Cumprimentos à
LAPINHA pelos nobres propósitos e os melhores votos de êxito na empreitada :)

Até agora, não há notícias de farta liberação de recursos para a laboriosa
LAPINHA. Em EUROS, é claro. Em além-mar (Portugal), pelo menos para nós de cá, foi criada outra entidade, a LAP - Liga dos Amigos de Plutão.

Sucesso absoluto, dizem os seus criadores:
"Membros eminentes da nossa classe política e intelectual disputam os impressos para inscrição e as bichas para entrega da documentação são imensas."

Como foi divulgado pela imprensa, em agosto de 2006 a
União Astronômica Internacional 'decretou' o rebaixamento de Plutão. Ele não mais seria considerado um planeta, mas um planeta anão ou um simples asteróide.

As conseqüências disso?

Certamente, elas não serão percebidas de imediato pelo chamado grande público.

Do ponto de vista prático, é o mesmo que mudar o nome de rótula para patela. A pancada nessa parte do joelho continua doendo da mesma maneira. Compressas de gelo ainda são recomendadas.

A mudança da condição astronômica de Plutão tem provocado bem-humoradas reações.

O blog
ESPÍRITO DE XABREGAS anuncia o GAP - Grupo de Amigos de Plutão e lança o seu apelo:

"junte-se a nós e proclame bem alto: Plutão é um planetão!"

Já o blog
Veneno Crônico procura reunir os FdP - Filhos de Plutão e propõe o grito de guerra:

"Os FdP unidos jamais serão vencidos!"

Há outra Sociedade Amigos de Plutão cuja "... sede está registrada no
INSTITUTO FHC, em São Paulo. O presidente da entidade é um ex-Editor de revista, filiado ao PSDB, amigo íntimo do Alckmin. O objetivo é conscientizar a população para o perigo que significa o rebaixamento de Plutão, primeiro passo para a reeleição em primeiro turno."

Mais uma piada política.

Moral da história: leia as notícias com espírito crítico. Isso não significa ler as coisas com a idéia pré-estabelecida de que tudo é mentira. Procure ver coerência entre as informações fornecidas. Se houver cifras, faça alguns cálculos e veja se os valores apresentados são razoáveis. Se mencionar fontes, como jornais e revistas, vá até lá e confira.

Em 30 de setembro de 2006, o jornalista Carlos Chagas publicou a Retratação.

"... A 29 de agosto, enveredei pela mesma trilha, diante da desclassificação de Plutão de planeta para asteróide. Por conta da proliferação de ONGs fajutas mamando nas tetas do governo, [ ...] , imaginei outra, a "Sociedade dos Amigos de Plutão. Ao descrever suas atividades, obviamente fictícias, não resisti à tentação de apresentá-la como da mesma forma presidida por líder sindical, suposto amigo do presidente, claro que inexistente, por isso jamais fulanizado. A ONG teria sede na Esplanada dos Ministérios e seus diretores empreenderiam farta e luxuosa viagem ao redor do mundo, pregando a imprescindível reabilitação de Plutão. ..."

O artigo original foi publicado em 29 de agosto de 2006. A retratação é datada de 30 de setembro do mesmo ano. O primeiro turno das eleições foi no dia seguinte à retratação: primeiro de outubro.

O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) ficou irado com a notícia e proferiu veemente protesto (êpa!) no Senado Federal. Ele recebeu a informação através da coluna de outro bem informado jornalista: Cláudio Humberto, ex-assessor de imprensa do senhor F. Collor.

Das duas uma: ou o senador agiu de má fé ou é muito mal informado. Ou talvez seja mais uma barriga(termo jornalístico para notícia de jornal sem respaldo nenhum) de sua excelência. Prefiro a segunda! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário