Um mundo sem fronteiras (ao menos para o Google)

Apesar de todas as afirmações de que vivemos novos tempos, um mundo sem fronteiras. Estou convicto de que ainda estamos muito longe disso e talvez nunca chegaremos de fato a este cenário. Onde está a globalização do trabalho? Quero dizer a livre mobilidade de trabalhadores entre as economias. Falácia.

O Google está a viver uma situação um tanto quanto delicada neste "mundo sem fronteiras". A empresa está na parede aqui no Brasil e nos EUA também. Logo outros lugares terão os seus problemas. A dor de cabeça da Google têm sido o portal Orkut. O Ministério Público exige que os técnicos forneçam a identificação imediata e irrestrita de usuários acusados de pedofilia, racismo e etc. Corretíssimo. Mas o grande problema é que 1) os servidores do Google localizam-se nos EUA, fora portanto do nosso território, 2) estes usuários em sua grande maioria, tal como são chamados os terroristas, são inimigos sem rosto, 3) a Google opera no Brasil mas não mantém uma equipe técnica aqui.

O MP exige uma indenização de R$ 130 milhões pelas seguidas desobediências as determinações da lei. O Google diz que já retirou 200 páginas (muito pouco, diga-se de passagem). É um grande imbróglio que os advogados da empresa e o MP terão que resolver e que, qualquer que seja o resultado, servirá como referência internacional. É um campo minado.

É fato que o Orkut é um grande negócio que nem a própria Google ainda sabe o que fazer com ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário