Sei que tem muito tempo que não escrevo conscientemente aqui.
Não tem nada de muito interessante acontecendo, as pessoas seguem seus caminhos, procurando evitar riscos, medos e outros ritmos de pulsação. Nunca se viu tantos casais se desfazendo, tantos amigos se afastando. É o individualismo que impera.

Você fecha a janela do seu carro, não quer ver a miséria lá fora, liga o som alto, se tranca em seu mundo. Tudo é você, você, você.

Os dias vão passando, os meses também. E sua rotina cinza continua a mesma. Já não se conhece mais seus amigos, não há porque se preocupar com seus vizinhos.

Você se importa com o hoje, com o imediato, e o resto?

O resto ficou do outro lado do vidro.

O medo de se envolver causa a ruína do mundo. Nós cheios de "solidariedade", participamos de eventos como "Criança Esperança", e cheios de hipocrisia acreditamos estar fazendo a nossa parte. E como fica o menino do lado de fora do seu carro? Como dormirá aquela família que perdeu a casa em uma enchente.

O mundo se une em casos/causas isoladas, no fim do ano passado foi em prol das vítimas das Tsunamis, e como ficam as vitimas da violência avassaladora da exclusão social.

Essas pessoas já se tornaram invisíveis para o governo (exceto em época eleitoral) e para você?

O que você tem feito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário