Ensaio sobre o Orkut

Como é fácil vendermos nossa imagem nessa ferramenta chamada Orkut, somos quem quisermos ser e, melhor ainda, podemos querer não ser ninguém... Falando nisso, odeio fakes, todos eles...

Apesar de garantidos os direitos de expressão desde que não ultrapassem a personalidade doutrem, o Orkut proporcionou o verdadeiro caos no nosso sistema jurídico brasileiro, uma verdadeira anarquia de valores se estabeleceu... "Fodam-se a imagem e a privacidade, entrou no Orkut, 'lascou-se'" (assim disse meu colega de sala em uma aula sobre Direito Civil)

Se falta personalidade em alguns, sobra em outros. Discursos eloqüentes, frases de grandes pensadores, músicas, sonetos, poemas, palavrões, chavões, passagens bíblicas e, quando não misturam tudo isso que foi dito em um só perfil, aparece a mais incrível descrição de si mesmo... uma gigante e totalmente esclarecedora "?"

Simplesmente PERFEITO...

Resume em um símbolo tudo o que filosófos nunca conseguiram expressar em palavras. De todos os perfis que já visitei, e confesso que foram muitos, este sim, é uma obra de arte não reconhecida. É tudo que poderia ter sido dito, mas não foi! Por que? Porque se não nos conhecemos totalmente, se não conseguimos nem dizer o que gostamos em palavras claras... como céus eu poderia dizer quem sou eu?

Se o criador do Orkut tivesse pensado nisso antes, acredito que existiria uma outra frase no lugar da tão terrível frase:"Quem sou eu", antes de qualquer nome, existiria uma descrição "como você se imagina ser" e ao final: Mas pode me chamar de: Fulaninho de Tal.

Boa Semana pra vocês!!

Ps: Beijos especiais a Nane. Saudades imensas de você!

2 comentários:

  1. Acredito que foi o texto mais ácido sobre o orkut que já li. Parabéns amigo, vc tem potencial!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!
    Eu odeio Orkut,então não vou nem me ocupar falando dele e de como as pessoas o utilizam de uma forma que eu não entendo qual a finalidade.

    Você tem potencial![2]

    ResponderExcluir