Estranhos

Hoje uma cena muito interessante me aconteceu... estava eu sentado, calado, um pouco febril, quando me deparo com uma criança sentada a minha frente, olhando pra mim, provando seu salgado, calada, apenas me observando escrever e ignorando o mundo ao redor.

Sua expressão era de alguém despreocupado, mas o que o faria assim? Talvez pela sensação de liberdade que a mãe estava lhe causando ao se ausentar para conversar com uma amiga, talvez porque o gosto do salgado estivesse tão bom que "dane-se o mundo, eu quero é me esbaldar". Estranho, a cada mordida parecia cada vez mais distante.

Quando nossos olhares se cruzaram, ele me ensina algo que há muito tempo havia esquecido... nenhuma barreira pode resistir a um sorriso sincero!

Há poucos metros da minha mesa estão pessoas que julgam me conhecer... estas tmb me olham, digo isto porque para elas só fui o que eu quis que elas pensassem de mim.

Escrever sobre isto me dá certo conforto, adoro quando pensam que me conhecem e se surpreendem quando descobrem algo em mim que nunca imaginavam que eu fosse capaz.

Algumas pessoas são assim e eu não as condeno mais, que falem, que sejam assim, que tenham seus "grandes" assuntos sobre festas ou pessoas, eu não me importo mais, quando descobrirem que o mundo não é apenas seu próprio umbigo, saberão que nem tudo é brilho e que debaixos de máscaras podemos ser quem quisermos e que nem sempre as máscaras caem... pois algumas delas apenas nunca existiram!

Bom Final de Semana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário