E Por que não ser um gênio?

É difícil admitir isso, mas eu não sou um gênio.

É pior ainda admitir uma outra coisa: ao que tudo indica, nunca passou na mente de nenhuma pessoa que eu poderia ser um gênio.


Desde criança, pensei que um dia todos me olhariam admirados por meu brilhantismo. Eu queria ser reconhecido por grandes feitos. Queria ser reconhecido por me destacar dos demais. Queria ser reconhecido por transformar o mundo em algo melhor. Queria ser reconhecido por toda eternidade. Queria ser reconhecido, e talvez isso fosse o que eu mais queria...

Mas eu cheguei em uma fase decisiva. Eu tenho mais de duas décadas de vida, grandes nomes se destacaram muito antes disso e eu, simples e reles mortal, nunca ganhei nenhum prêmio, nem um trofel, nem uma medalhinha de honra ao mérito por algo que eu tenha feito. A cada ano que passa, acredito mais na possibilidade de não ser um humano acima das habilidades habituais. A cada ano que passa aquele velho sonho de ser mais do que eu realmente sou vai morrendo.

Quando estava na quarta-série, eu decide que seria um grande escritor, daqueles que todos parariam quando eu passasse no corredor e apontariam para mim dizendo: “Aquele é o Dayvson, o maior escritor que já nasceu em Natal”. Mas sabe de uma coisa, você, caro leitor, está lendo um texto meu a quase quatro parágrafos, e deve concordar com esse meu pensamento: “Se eu for considerado um gênio, não será por causa do que eu escrevo, porque eu sou péssimo”.

É... triste pensar isso, mas eu sou normal. Vivo uma vida normal, tem pessoas que me amam, tem pessoas que me odeiam, mas ninguém para no meio do corredor para falar, quando eu passo, alguma coisa de mim.

Posso não ser brilhante, posso não ser um gênio, posso não ser reconhecido. Entretanto, eu não preciso dessas qualidades para buscar o que eu mais quero em minha vida: ser feliz.
Não me importa se todos, quando eu morrer, um dia se esquecerao de mim. Não me importo de não ter conseguido mudar o mundo para algo melhor. Não me importo de não ser reconhecido quando ando nos corredores. O que eu realmente deveria saber desde novo, mas que só agora eu percebo, é que transformar a vida das pessoas que estão ao meu redor é o que realmente importante.

Se souber que, que durante um dia, eu fiz minha namorada feliz, isso já vai ter valido toda minha existência. Saber que pude marcar as pessoas a minha volta, não por ter sido incrível, mas por ter sido amigo, esse é hoje meu maior sonho.

Não quero ser mais brilhante, não quero mais ser um gênio, não quero mudar o mundo. Quero amar e ser amado; chorar e ser consolado; e fazer alguém sorrir, mesmo quando não há motivos. Quando aprendermos que realmente só isso que importa, ai sim seremos felizes.

2 comentários:

  1. Muito bom o texto.
    Foi escrito por vc?
    Palavras talentosas, essas!

    ResponderExcluir
  2. "transformar a vida das pessoas que estão ao meu redor é o que realmente importante..."


    =)

    ResponderExcluir