Falsas Verdades!

Hoje pela manhã fiz uma reflexão sobre um acontecimento um tanto cotidiano para alguns, mas estranho para mim. Dos bilhares de apelidos que coleciono e outros que me atribuem por esporte, apenas um, e somente este, me diz exatamente como eu me sinto: ESTRANHO!

Me pergunto: "Serei eu o estranho ou serei eu o único no universo que é "normal"?"

Independente da resposta, já notaram como isso soa triste?

Será que nesse imenso planeta azul existe alguém que assim como eu se importa ainda com as pessoas, que se estremece diante das injustiças do mundo e não se contenta com mentiras impostas por essa sociedade hipócrita?

Falsas Verdades! Estou cercado delas...

Um homem, assim como eu ou você, com seu mundo-próprio atado as suas costas, passeava com seu cachorro, andava pela orla de Ponta Negra num belo final de tarde, parecia preocupado ou desesperançoso, andava várias vezes pelo calçadão até encontrar um conhecido e receber de presente uma indagação um tanto incomoda:

- Como vai? tudo bem? - Pergunta o conhecido.

- Vou bem sim e você? - Responde quase sussurando o indagado.

Por que mentimos tanto?

Lógico que o conhecido não estava preocupado com o bem-estar do homem, acontece que vivemos tanto no automático que o melhor, para nós mesmos, é que nos respondam exatamente como o homem e seu cachorro...

apenas com Falsas Verdades...

apenas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário