Queria escrever sobre o amor. E o fiz.

Queria escrever sobre amor, sobre como ele é, ou melhor, como penso que ele o é.
Queria apenas escrever, não para alguém, mas para parar de me agonizar.
Ah, o amor, motivo de desnorteamento feminino e algumas vezes do riso masculino.
Ah, o amor...
Amor é um sangramento que não se vê sangrar.
Arde por dentro quando se ama.
É o amor, uma oposição a todas as virtudes tônicas dos filósofos mais renomados deste mundo.
Compaixão.
Amor: Sentimento mais venerado pelos gregos e rock stars.
Ah, o amor...
Suga da seiva mais profunda do coração quando se conhece uma pessoa especial para você.
Sim, o amor, o mesmo que te faz chorar e pensar;
O mesmo que te faz rir e gozar, como quando ouve um sussurro ao pé do ouvido de quem gosta de você.
Ah, o amor...
Que faz você esperar para todo o sempre pela pessoa que disse voltar outrora.
Fraqueza, bobagem, pode chamar do que quiser, eu o chamo de amor.
Queria apenas escrever sobre o amor e o estou fazendo, penso que é assim que deveria ser.

2 comentários:

  1. "Que faz você esperar para todo o sempre pela pessoa que disse voltar outrora.
    Fraqueza, bobagem, pode chamar do que quiser, eu o chamo de amor".
    Aiii te amo demais bb!!

    ResponderExcluir
  2. O que mais causa estranheça no amor, é que você, com certeza ama sozinho... Se o outro te ama, aí são os encontros da vida...

    ResponderExcluir