Contra tudo e todos!

Uma das lendas mais famosas do mundo diz que Einstein teve que repetir várias vezes de ano devido a sua dificuldade com física e matemática. Ao ser perguntado sobre o fato por um repórter, Einstein riu. Na verdade, aos quinze anos ele já dominava cálculo integral e derivada, materias só vistas em cursos voltados para ciências exatas, como engenharia e física. Aos dezenove anos, publicou em uma revista de física alemã um artigo questionando as teorias dos maiores cientistas da época, mas só teve a autoridade para provar que estava certo anos depois.

O fato é extremamente desanimador.

Saber que o maior gênio do século XX também tinha dificuldades nos colocava no mesmo patamar e nos enchia de esperança por um futuro desconhecido. Nos desviava de um determinismo genético e nos fazia acreditar que com determinação, éramos capazes de qualquer coisa.

Mas, peraí, há ainda um porém em tudo isto:

Einstein foi contra tudo e todos de sua família que estava à beira da falência e viam nele um engenheiro que salvaria a família do colapso. Não. Queria ser físico, nada diferente disso. Assistiu sua família se tornar cada dia mais pobre, enquanto mesmo formado em física não conseguia emprego em nenhum lugar da Europa. Seu pai morreu sem saber que o filho não seria apenas o fracassado que estava em sua frente.


Esse fato é extremamente encorajador.

Me faz perceber que o mundo não é uma questão de determinismo genético, eu não nasci pra fazer algo e esquecer que quero fazer outra coisa. Nasci para bater de frente contra tudo e todos (ERGA OMNES), até provar que meus sacrifícios não foram em vão. Acreditar que tenho algo que ninguém mais tem, não porque nasci com isso, mas porque batalhei por isso, é o motor que me faz seguir em frente, dedicando toda minha energia. Isso é o que eu quero, essa é minha vida.

Se eu só tenho uma, nada mais justo do que mirar na lua, acertar ou errar não faz diferença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário