O valor das (minhas) coisas

Dizem-me (disseram...) que tenho uma relação estranha com o dinheiro (não era bem esta a frase, mas não estou a deturpá-la).

Admito que sim.

Sinto que na nossa viagem por esta vida não somos donos de nada, somos apenas quem usa, quem, durante algum tempo, conquista o direito de utilizar determinados bens que... estão por aqui.

Que se consomem, se caducos, que ficam por aqui, se mais duradouros; mas que nunca são nossos.

Por isso, faço um uso perfeitamente abusivo daqueles bens que foram colocados à minha disposição, quer os que me chegam graciosamente, mas principalmente dos outros, aqueles cujo acesso me custou a obter.

De um modo geral, coisas que tem um certo valor... emocional ou material. Não que os tenha assim tanto, mas pronto...

Gasto, de modo quase indisciplinado: comigo, no que me dá prazer, acarinhando-me com aquelas coisas que me fazem sorrir (revistas em quadrinho, cinema com direito a pipoca gigante, jogos de videogame, DVD´s comprados a 1,99) - mesmo quando sei que o prazer que elas me dão é momentâneo, que vai, mais cedo que tarde, desaparecer.

Gasto, de modo quase desinteressado: com os outros, quando sei que lhes dá prazer (presentinhos, mimos, realizar pequenos sonhos).

Gasto dinheiro, sim, muito, tanto que nem é bom pensar nisso; mas também tempo, que ainda tenho menos que dinheiro, e, por vezes, até suor (haverá quem diga que isso até me fará bem...).

E isto, na minha estranha teoria, não constitui qualquer forma de altruísmo ou desinteresse, bem antes pelo contrário, é egoísmo no estado mais puro que possa existir: o maior prazer é mesmo meu.

Garanto.

Porque se aquilo que por aqui vou usando não são coisas minhas, há outras que são apenas minhas e das quais não quero sequer pensar em abdicar: os sorrisos que vou vendo nas caras de quem está do outro lado... nem que para tal tenha ir por caminhos verdadeiramente obscenos.... Porque o prazer que disso retiro não se mede em dinheiro.

E é dele que hoje menos preciso... apesar de quase não tê-lo.

4 comentários:

  1. Eu gosto dos seus textos.Digamos q vc é mt filosófico e a direção q vc costuma seguir com teus pensamentos são parecidos com o meu.
    Tb gasto dinheiro sim,apesar de qse não ter....kkkk
    Mas é bom e a gente não leva nada dessa vida pra outra.
    :*

    ResponderExcluir
  2. Belo post, parabéns...

    Muito bom seu espaço, fiquei feliz por conhecer...

    Muito bom!

    Conheça o meu...
    http://mailsonfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. ah, divido a idéia da inexistência do altruísmo! hehe =D sem mentiras, confessamos que é por puro prazer. Only.

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    sou David Iannini(Produtor de moda e Styling, e editor do blog Acordei Fashionista).
    Encontrei seu blog em buscas pela net, adorei o espaço!
    Aproveito para deixar o link do meu blog!
    http://acordeifashionista.blogspot.com/
    Se curtir me segue(sigo devolta).

    Abraço!

    ResponderExcluir